Três integrantes da mesma família morreram após serem baleados no Lami, na Zona Sul da Capital.

Suspeito teve a prisão decretada pela Justiça, mas segue foragido.

Crime aconteceu na Estrada do Varejão, no bairro Lami, na Zona Sul de Porto Alegre Giulia Perachi / RBS TV Os corpos de três pessoas da mesma família mortos neste domingo, após uma discussão no trânsito, na Zona Sul de Porto Alegre, foram velados no cemitério Jardim da Paz na noite desta segunda-feira (27).

O casal Rafael Zanetti Silva, 46 anos, e Fabiana da Silveira Innocente Silva, 44 anos, e o filho deles, Gabriel da Silveira Innocente Silva, 20 anos, foram atingidos por tiros disparados por um homem de 24 anos, que está foragido. Sob forte comoção, os familiares se despediram dos três em uma cerimônia reservada.

Tiago Zanetti Klinger, primo de Rafael, diz que a única expectativa é que o criminoso seja preso e condenado. "É a banalização da vida humana, em uma batida de carro, uma pessoa executar uma família inteira e deixar hoje uma criança de oito anos ao léu.

A família espera apenas justiça, e que não se repita esse tipo de ação." O crime aconteceu no bairro do Lami, após Rafael, que estava dirigindo o carro, bater em uma caminhonete que estava estacionada.

Além do casal e de Gabriel, estavam no carro a namorada do jovem e o filho mais novo de Rafael e Fabiana, um menino de oito anos. Segundo Thiago, o núcleo familiar era bastante unido, e voltava de uma celebração quando foi interpelado pelo suspeito.

"Era uma família muito unida, sempre juntos.

Trabalhavam juntos, passeavam juntos.

Não foi nenhum absurdo estavam todos juntos no momento do crime.

Voltavam de um momento bem feliz, de um almoço de domingo", relata. Carro do suspeito foi encontrado em um galpão próximo ao local do crime Polícia Civil / Divulgação Como foi o crime A namorada de Gabriel, que não quer ser identificada, contou após o crime que a família voltava de um aniversário.

"O Rafael deu uma encostada no carro.

Ele se perdeu, era uma estrada de chão", afirma a jovem. A vítima não teria parado e o proprietário do veículo teria os seguido para tirar satisfações.

O suspeito interceptou o carro da família e, durante a discussão, sacou a arma, conforme relatos da jovem. A briga continuou até que diversos disparos foram feitos, atingindo as três vítimas.

Segundo ela, o suspeito entrou no veículo e fugiu pela estrada do Varejão.

A mãe do suspeito, que estaria junto no momento dos tiros, ainda tentou acalmá-lo, mas ele a empurrou e atirou contra a família. "A Fabiana tentou ligar pro 190 e começou a gritar que tava ligando, que tinha uma criança no carro.

Acho que isso deixou ele com mais raiva", relembra a jovem.

"Eles estavam todos juntos, foram vários tiros.

Foi tudo junto.

O Rafael foi o primeiro que vi cair, o último foi o Gabriel", diz. O casal morreu no local.

Gabriel ainda foi levado para o Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre, mas não resistiu aos ferimentos. Revólver sem registro e pistola inscrita no nome da mãe do suspeito foram encontrados em Porto Alegre Jonas Campos/RBS TV Suspeito tem prisão decretada A Justiça decretou, na manhã desta segunda, a prisão temporária do suspeito.

Ele segue foragido.

Segundo a Polícia Civil, ele não tinha antecedentes criminais.

Após o crime, policiais realizaram buscas na casa dele para prendê-lo em flagrante, mas ele não estava no local. "Um final trágico.

A gente até vê no dia a dia algumas discussões, brigas de trânsito, mas esse final trágico foi surpreendente", afirmou o capitão da Brigada Militar que atendeu a ocorrência, Luis Fernando Farias Junior. Em revista na casa do suspeito, a polícia encontrou uma pistola, um revólver, carregadores e munição.

O homem, entretanto, não possui porte de armas. O carro do suspeito também foi localizado nesta segunda, em um galpão próximo ao local do crime.

Na residência e em um supermercado que pertence à família do suspeito, a polícia encontrou uma pistola 380 registrado no nome da mãe do suspeito e um revólver, calibre 38, sem registro.

A mãe também não foi localizada pela polícia.