Conforme a prefeitura, a previsão era de que o lugar fosse liberado nesta sexta-feira (20) para os banhistas.

Entretanto, IAP ainda precisa vistoriar o local.

Abertura da prainha de Três Lagoas é adiada A abertura da Prainha de Três Lagoas, que estava prevista para esta sexta-feira (20), foi adiada por tempo indeterminado pela Prefeitura de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) não autorizou a abertura porque a prefeitura precisa de uma licença para realizar as obras de reformas no local.

Além disso, para que o espaço seja liberado para os banhistas, o IAP informou que também deverá realizar uma vistoria após a conclusão da reforma. O município afirmou que entregou, por meio da Secretaria de Planejamento, toda a documentação solicitada pelo IAP para que as melhorias fossem realizadas. Segundo a prefeitura, o município aguarda a vistoria do instituto a fim de que a prainha seja liberada. Abertura da Prainha de Três Lagoas é adiada por tempo indeterminado RPC Foz do Iguaçu/Reprodução Liberação Segundo o IAP, para a reforma de um espaço como a Prainha de Três Lagoas, a administração pública precisa seguir um procedimento realizado em três etapas.

São eles: a licença prévia, licença de instalação e licença de operação.

Conforme o instituto, a prefeitura recebeu a licença prévia para as obras de reforma na prainha, no dia 12 de dezembro de 2018. Isso significa, conforme o IAP, que o instituto havia verificado apenas as informações preliminares sobre o que seria realizado no espaço e os possíveis impactos ambientais das obras. Entretanto, para que as obras pudessem começar, segundo o IAP, o instituto deveria ter autorizado a licença de instalação.

O que não ocorreu, conforme o instituto, pois a prefeitura solicitou essa licença no dia 12 de dezembro de 2019, um ano após a liberação da licença prévia. De acordo com o chefe regional do IAP, Carlos Pittom, o instituto está analisando a situação da prainha e deve emitir um documento indicando que o projeto apresentado pela prefeitura atende as exigências e que a prefeitura está autorizada a iniciar as obras. Não há uma data definida para que esse documento seja protocolado, conforme o instituto.

O IAP está de recesso a partir desta sexta-feira até o dia 6 de janeiro de 2020. Após licença de instalação ser liberada, a prefeitura ainda precisará que o instituto vistorie o espaço para conceder a licença de operação.

Depois dessa terceira etapa, o local poderá funcionar e receber os banhistas, conforme o IAP. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.